quinta-feira, 27 de abril de 2017

Aquele que vem do alto está acima de todos...

       A Páscoa de Jesus reabilita e reúne os discípulos. O medo dá lugar à alegria, a dúvida cede à fé, o temor é assumido pela esperança. As portas e janelas antes fechadas abrem-se para o mundo e os discípulos apregoam Jesus vivo e o Seu Evangelho de compaixão em todos os lugares, ocasiões e oportunidades.
       O livro dos Atos dos Apóstolos, que nos acompanha em todo o tempo de Páscoa, mostra-nos como as primeiras comunidades assumem e testemunham o Evangelho e como os Apóstolos vão alargando o espaço e os mundos a que se dirigem para pregar.
       No Sinédrio, diante do tribunal judeu, no Templo ou na Sinagoga, os Apóstolos garantem que Jesus vive e só a Ele deverão obedecer, ainda que respeitem as autoridades dos judeus, dos gregos ou do romanos, por quem rezem.
       O Querigma, o primeiro anúncio, está bem sintetizado nas Palavras de Pedro e dos Apóstolos, como se pode ver na primeira leitura:
O comandante do templo e os guardas trouxeram os Apóstolos e fizeram-nos comparecer diante do Sinédrio. O sumo sacerdote interpelou-os, dizendo: «Já vos proibimos formalmente de ensinar em nome de Jesus; e vós encheis Jerusalém com a vossa doutrina e quereis fazer recair sobre nós o sangue desse homem». Pedro e os Apóstolos responderam: «Deve obedecer-se antes a Deus que aos homens. O Deus dos nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós destes a morte, suspendendo-O no madeiro. Deus exaltou-O pelo seu poder, como Chefe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e o perdão dos pecados. E nós somos testemunhas destes factos, nós e o Espírito Santo que Deus tem concedido àqueles que Lhe obedecem». Exasperados com esta resposta, decidiram dar-lhes a morte (Atos 5, 27-33).
       O Evangelho continua a trazer-nos o diálogo de Jesus com Nicodemos. A noite do encontro vai dando lugar à luz da fé, do esclarecimento, do testemunho.
       Disse Jesus a Nicodemos: «Aquele que vem do alto está acima de todos; quem é da terra, à terra pertence e da terra fala. Aquele que vem do Céu dá testemunho do que viu e ouviu; mas ninguém recebe o seu testemunho. Quem recebe o seu testemunho confirma que Deus é verdadeiro. De facto, Aquele que Deus enviou diz palavras de Deus, porque Deus dá o Espírito sem medida. O Pai ama o Filho e entregou tudo nas suas mãos. Quem acredita no Filho tem a vida eterna. Quem se recusa a acreditar no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele» (Jo 3, 31-36).
       Ouvíamos ontem no Evangelho Jesus dizer-nos claramente: "Deus não enviou o Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele". Hoje acentua-se a Mensagem de Jesus: Deus ama-nos, com amor eterno, criou-nos por amor, por amor nos dá o Seu Filho, Jesus Cristo, enviado ao mundo para que a humanidade seja salvo por Seu intermédio. A salvação é dom de Deus. Ele oferece-a de bom grado, gratuitamente. Aliás, dá-nos o melhor de Si mesmo, o Seu Filho Unigénito, que permanece no mundo através do Espírito Santo.
       Cabe-nos acreditar em Jesus, acolher a Sua mensagem de amor e de perdão, viver na/da Sua vida.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Jacinta: Grupo de Jovens de Tabuaço voltou ao Cinema

       No dia 11 de fevereiro, o Grupo de Jovens foi ao Cinema para ver o filme "Silêncio", de Martin Scorsese, baseado no romance, com o mesmo nome, da autoria de Shusaku Endo, católico japonês. Era um contexto que provocava reflexão, sobre a fé, sobre o martírio, sobre o testemunho cristão, sobre a negação da fé, procurando entender as situações de sofrimento e de perseguição.
       No âmbito do Centenário das Aparições, o filme "Jacinta", como outros que estão a sair para o mercado cinematográfico e televisivo, foi uma oportunidade para reunir o Grupo de Jovens numa atividade lúdica, cultural e religiosa, permitindo aprofundar os laços de amizade entre os membros do grupo e simultaneamente refletir sobre a mensagem de Fátima e das Aparições de Nossa Senhora aos Pastorinhos, desta feita a partir da figura mais nova, do seu olhar e da sua fé.
       Assim, no sábado 22 de abril, depois da Festa de São Vicente, partimos em direção a Vila Real para assistirmos a esta produção nacional de grande qualidade, forma séria de divulgar a mensagem e os acontecimentos de Fátima.

Paróquia de Tabuaço: Festa de São Vicente Ferrer 2017

       São Vicente Ferrer nasceu em Valencia, Espanha, em 1350. Entrou para os Dominicanos (Ordem dos Pregadores de São Domingos) com 17 anos. Nesta época, a Igreja Ocidental vivia o grande cisma, com dois Papas, um em Avinhão, na França, e outro em Roma, em Itália.
       Fez a sua profissão religiosa em 1368 e foi ordenado sacerdote em 1374.
       Andou por Espanha, França, Itália, Suíça, Bélgica, Inglaterra e Irlanda e muitas outras regiões, defendendo sempre a unidade da Igreja, o fim das guerras, o arrependimento e a penitência, como forma de esperar o regresso iminente de Cristo. Tornou-se uma das vozes mais respeitadas da Europa. 
       Exortava as pessoas à conversão: a vinda de Jesus Cristo está próxima. Vicente é, para a imaginação popular, “o pregador do fim do mundo”. Muitas vezes era chamado a intervir como árbitro de paz.
       Morreu no dia 5 de abril de 1419, na cidade de Vannes, Bretanha, na França.
       Foi canonizado pelo Papa Calisto III, em 1455.

       Em Tabuaço venera-se desde o séc. XV ou XVI. A povoação formou-se a partir de uma ermida erigida em sua honra, crescendo a partir daí. Não deveria ser muito distante da atual Capela.
A imagem de São Vicente representa-o com o traje dominicano. Na imagem original, teria asas, sendo visíveis dois buracos na parte superior das costas, onde estariam incrustadas as asas que entretanto desapareceram, por ser apelidado de “anjo do apocalipse”. Sentado aos pés, a judia que ele ressuscitou e que se converteu ao cristianismo.

       A 5 de abril celebra-se a memória litúrgica de São Vicente Ferrer. Tal como no ano anterior, também em 2017 a festa foi dividida por dois momentos, dois dias. No dia 5, a celebração da Santa Missa na Capela. No dia 22, sábado seguinte à Páscoa, Festa mais popular, com Procissão da Capela para a Igreja, celebração da Santa Missa, com as crianças e adolescentes da catequese, regresso da Procissão e da imagem de São Vicente sua capela. Havendo, depois, lugar para o convívio, com jantar e um grupo musical.

       Algumas fotos dos dois dias de festa:

Para as outras fotos disponíveis visitar a Paróquia de Tabuaço no Facebook.

Paróquia de Tabuaço: Semana Santa 2017

       A vivência da Semana Santa, a Maior da liturgia da Igreja, na medida em que se comemora, se celebra, se atualiza o mistério maior da fé cristã, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo, tem uma importância significativa nas diferentes comunidades paroquiais e religiosas. A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Tabuaço não é exceção, procurando, de ano para ano, envolver toda a comunidade, com a preciosa generosidades dos grupos paroquiais, disponibilizando tempo, recursos e boa vontade.


       A Semana Santa inicia com o Domingo de Ramos na Paixão do Senhor, este ano a 9 de abril. Pela manhã a bênção de Ramos na Capela de Santa Bárbara, prosseguindo em Procissão para a Igreja Matriz, onde se celebrou a Eucaristia, com a Leitura da Paixão do Senhor. À noite, pelas 21h00, no Adro da Igreja Matriz, a Via-Sacra paroquial, com preponderante participação e empenho da catequese, crianças e catequistas, e com o Grupo de Jovens, envolvendo diretamente o Grupo Coral e dos membros do Conselho Económico na logística e no som.
       O segundo momento importante e que vem a ser tradição, o Dia do Perdão, Dia da Adoração do Santíssimo Sacramento, solenemente exposto, assegurada pelos diversos grupos eclesiais e pela comunidade no seu conjunto. Com a Adoração do Santíssimo (em reserva na Capela de Santa Bárbara) durante o dia de sexta-feira, vivem-se aproximadamente as "24 Horas para o Senhor", iniciativa proposta pelo Papa Francisco e aqui transferida para o dia das Confissões comunitárias e para a sexta-feira santa.
       Chegámos ao Tríduo Pascal, com a celebração da Ceia do Senhor, em quinta-feira santa, comemorando a Instituição da Eucaristia e com a cerimónia do Lava-pés. No final, a trasladação do Santíssimo Sacramento para a Capela de Santa Bárbara.
       Na sexta-feira santa, a Adoração da Santa Cruz, com a Liturgia da Palavra em que se proclama o Evangelho da Paixão segundo São João. No final da celebração, e como em anos anteriores, a Procissão do Senhor Morto para a Capela de Santa Bárbara.
       O sábado Aleluia é o tempo de preparar a Igreja, os corações e a vida, a comunidade para a celebração festiva da Páscoa. A Vigília Pascal é um momento único de celebração, de fé e de devoção, com os diferentes momentos, a bênção do Lume Novo, a Liturgia da Palavra percorrendo toda a História da Salvação, a bênção da Água batismal, com o cantar das Ladainhas dos Santos, a Liturgia Eucaristia.
       O Domingo de Páscoa inicia cedo, pelas 8h00. Contando com uma vintena de pessoas, diretamente envolvidas, 4 gírios percorreram a Vila/Paróquia para anunciar de casa em casa a alegria da Ressurreição. A Visita Pascal conclui com a celebração da Missa solene de Páscoa e com a Procissão da Ressurreição.
       Algumas imagens das diferentes celebrações:
Para as outras fotos disponíveis, visite a Paróquia de Tabuaço no Facebook.